Contando Histórias Bíblicas


O GOC deve levar a criança à experiência da Palavra de Deus e o Batismo do Espírito Santo. Os dons carismáticos devem ser aprendidos e praticados com naturalidade, ordem e simplicidade. Cada encontro do GOC tem que levar a criança a desejar:
- Santidade,
- Aceitar Jesus como Salvador e Senhor de sua vida,
- Transformação de vida,
- Aplicar concretamente a Palavra de Deus em sua vida.

Objetivo do Grupo de Oração de Crianças:

Levar o querigma às crianças de forma atraente, "de maneira direta, simples e eficaz" (documento 72 da CNBB).


O papel dos pais

"Os mandamentos que hoje te dou serão gravados no teu coração. Tu os inculcarás a teus filhos, e deles falarás, seja sentado em tua casa, seja andando pelo caminho, ao te deitares e ao levantares". Deuteronômio 6,7

"Os filhos são um dom de Deus: é uma recompensa o fruto das entranhas".
Salmo 126,3

Preparando o encontro

Tudo o que fazemos necessita de um preparo. Para o GOC isso também se aplica. É importante preparar o encontro com antecedência para que se tenha domínio daquilo que será trabalhado com as crianças.

1. Oração – Ore pelas crianças, pelo ministério, peça a direção do Senhor sobre a Palavra-tema daquele encontro.

2. Prepare o encontro levando em conta – o objetivo a ser atingido (querigma/tema)
- a idade das crianças
- tempo e espaço disponíveis

3. Escolha a técnica a ser utilizada para contar a história, assim você poderá conhecer e dominar a técnica e o material a serem utilizados.

4. Providencie todo o material que será utilizado.

5. Faça um roteiro para o encontro.

6. Escolha músicas de acordo com o tema.

7. Partilhe com os outros evangelizadores o que o Senhor lhe inspirou.

8. Divida tarefas.

Contando Estórias

É importante:
1. Riqueza visual
2. Conteúdo
3. Aplicação (como viver essa Palavra no dia-a-dia)

Objetivo:
1. Transformação na vida das crianças




Preparando a história

1. Ler a história na Bíblia várias vezes
2. Aprender com ela
3. Captar a mensagem implícita
4. Identificar os elementos iniciais:
a. Introdução
(curta / informações necessárias / deixe a criança falar)
b. Enredo
(sucessão dos episódios, ação dos personagens / a seqüência deve ser bem ordenada / mantenha a expectativa com variações no tom de voz e com pausas oportunas e breves).
c. Clímax
(as crianças estão emocionadas / desfecho)
5. Familiarizar-se com os personagens
6. Vivenciar as emoções para poder transmitir


Técnicas Para Contar Estórias

1. Simples narrativa
- Conte a estória com as mãos livres, concentre-se na expressão corporal e na voz.

2. Livro
- Desenvolve a seqüência lógica do pensamento infantil.
- Vire as páginas de maneira que todos possam ver as figuras, que precisam ser grandes e claras para que as crianças entendam bem o que se passa na estória.
- Não leia a estória, conte.

3. Gravuras
- Podem ser reproduzidas de livros e ampliadas
- Porta-gravura
- No final da narrativa, cada criança conta parte da história correspondente a uma figura (reconstruir a estória).

4. Flanelógrafo
- Dá a idéia de movimento
- Flanela pintada com giz de cera
- Recobrindo papelão ou e.v.a.
- Para fixar as figuras podem ser usados materiais como lixa, pó de serragem ou entretela.
- Utilize gravuras adequadas, proporcionais e bem colocadas.

5. Objetos
- Estimulam a criatividade e a imaginação da criança
* Objetos comuns: é a fonte principal de atenção (programa Rá-tim-bum)
* Objetos específicos: são objetos dos quais o texto faz alusão ou podemos deduzir que estavam lá e foram usados (ex. Carpinteiro – usar um serrote).

6. Caixa de Areia ou Isopor
- Use figuras fixas em palitos de sorvete ou de churrasco
- Para enriquecer o cenário use bonecos, árvores, água...

7. TV (caixa de papelão)
- Dá característica especial à estória.
- Pode ser com sombras.

8. Bonecos
- Use com crianças até 5 anos.
- Crie ambientes móveis.

9. Fantoches
- Exige elaboração e ensaio
*Teatro: lençol, com a mesa deitada, cortina na porta ou "TV".
*Cenário: em e.v.a., cartolina, isopor, painel pintado em tecido.
*Fantoche: caracterizar, gestos exagerados, sincronizar voz e boca do boneco.
*Atores: número suficiente em cena, pessoa para mudar o cenário, segurar os objetos. Falar devagar, um ator de cada vez, dicção clara.

10. Dramatização
- Estória contada através de teatro.
- enriqueça com: trajes, acessórios, cenários, mobília, objetos, música, sonoplastia.
- Pode ser falada, muda ou mista.
- Ótimo para crianças acima de 8 anos (mas é bom a partir dos 5).

11. Monólogo de personagem ou objeto
- O evangelizador se veste caracteristicamente (ex. moeda perdida: ele se veste de dourado, ele é a moeda).
- a estória é narrada na primeira pessoa do singular (eu).
- Passa impressões e sentimentos do personagem em relação aos fatos.

12. Cinema
- o modelo é o de uma filmagem.
- O diretor pode ser o evangelizador.
- O câmera-man deve estar com uma filmadora (de papelão).
- os atores serão as crianças.

13. Programa de TV
- Humorístico, esportivo, jornalístico, de variedades (entrevista, apresentação musical, dança, participação do auditório, entrevista por telefone, etc.).
- Crianças acima de 9 anos.

14. Música
- Escolha músicas que narrem a história ou trechos dela.
- Musicais (cantata).
- Dramatização concomitante com a música.

15. Coros, cantos e histórias com eco.
O evangelizador combina com as crianças uma frase ou atitude à qual elas devem responder com uma palavra ou gesto específico. Ou faça com que as crianças criem os efeitos sonoros de acordo com a história sempre que você indicar. É impressionante a quantidade de coisas que eles memorizam assim.

16. Figuras misteriosas
À medida que a história é contada vá desenhando uma série de linhas e formas sem sentido até que as linhas se formem objetos reconhecidos que dão ênfase a partes da história. (Simplifique o trabalho fazendo os traços a lápis, bem claros, antes. Certifique-se que o quadro e o desenho são grandes o suficiente para ser vistos por todos. Falar e desenhar ao mesmo tempo é mais complicado que parece; conheça bem a história e pratique antes).

17. Acrósticos
Podem ser usados durante a lição preenchendo com as palavras no correr da história. (ex. escreva JESUS no quadro; à medida que a história continua escreva: José no J de Jesus, Esteve no E de Jesus, etc.).

Outros métodos visuais incluem modelagem, dobraduras, quadros de giz, mapas...


Para o sucesso da estória:

Conhecer bem a técnica
Planejar antes de contar
Ensaiar
Iniciar de modo interessante
Contar com naturalidade e entusiasmo
Falar em tom audível e velocidade regular
Modular a voz durante a estória (alegre, triste, bravo, etc.).
Usar linguagem clara e correta
Evitar muitos "daí" / "e então" / "né?"
Encarar os ouvintes

Lembre-se:

Qualquer técnica deve ser utilizada como auxílio para atingir um fim e nunca um fim por si mesmo.

Não adianta preparar uma ótima estória se o conteúdo espiritual for pobre.

A estória deve levar a uma transformação de vida da criança.

Mostrar como aplicar a Palavra na vida.

A criança tem pensamento concreto – ligar lições bíblicas a situações concretas do dia-a-dia.





Que o Divino Menino Jesus nos abençoe!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Que a paz do Menininho Jesus esteja em coração!